O Templo de Karnak é o mais imponente de todos os templos sobreviventes no Egipto dos anos do Antigo Império.

História

Mais de 30 faraós estiveram envolvidos em diferentes partes e fases da sua construção entre 2200 e 360 a.C., embora os mais proeminentes tenham sido Hatshepsut, Seti I, Ramsés II e Ramsés III.

Todo o complexo cobre cerca de 100 hectares, uma área maior do que muitas das mais importantes cidades antigas. No interior, destaca-se o grande templo de Amon, que foi o principal motivo do início da construção, mas à medida que os faraós foram passando, continuaram a ser construídos outros templos mais pequenos.

De todas as jóias arquitectónicas que se podem ver no Templo de Karnak, a mais notável e impressionante é provavelmente a sala hipostila, assim chamada por ser um espaço sustentado por colunas. Tem mais de 5.000 metros quadrados e um total de 134 colunas, das quais doze são as centrais e mais largas, destinadas a suportar o que era o telhado (agora destruído) e que atingem uma altura de 23 metros.

Como resultado de todas estas centenas de anos de construção, mudanças, adições e alterações no interior do Templo de Karnak, os arqueólogos e investigadores conseguiram catalogar mais de 200 estruturas diferentes, o que faz dela uma das áreas mais complexas e ricas ainda em investigação. e, claro, milhões de visitas turísticas anuais.

A sua enorme parede de 12 metros de altura foi construída em forma de ondas, num estilo diferente do resto do templo e das suas camadas horizontais de tijolos de adobe. Desta forma, o arquiteto procurou simbolizar as águas do Nun, o caótico oceano primordial segundo as crenças dos faraós egípcios. Ao colocá-la na parede, deixa o caos fora do espaço sagrado, onde tudo deve ser paz e harmonia para o repouso do deus Amon.

Além disso, há duas outras divindades que estão representadas em diferentes estátuas, templos menores e colunas e que, juntamente com Amon, formam a tríade principal das divindades tebanas: Mut e Jonsu.

O Templo de Karnak contém os seguintes recintos:

  • Templo de Amun-Ra.
  • Templo de Montu.
  • Templo de Mut.
  • Templo de Jonsu.
  • Templo de Opet.
  • Templo de Ptah.
  • Lago sagrado.
  • Templos, capelas, armazéns e salas mais pequenas, construídas dentro dos muros e à volta do recinto principal.

O Templo de Amun-Ra destaca-se por estar situado num eixo perpendicular ao rio, na sua parte principal, demonstrando a importância fundamental do Nilo para os antigos egípcios. De facto, existia ali um cais, ao qual se chegava por duas rampas que ligavam o canal do rio ao primeiro pilar através da Avenida das Esfinges. Neste primeiro pilar, ainda existem quatro orifícios de cada lado que serviam para encaixar os mastros de madeira de cedro cobertos de cobre que seguravam os estandartes durante os dias de festa.

O primeiro registo na Europa da existência do Templo de Karnak vem de um viajante veneziano anónimo, que em 1589 relata uma viagem a um local sem nome, mas pelas características mencionadas, não há dúvida de que se trata deste local. O original deste texto está conservado na Biblioteca Nazionale Centrale di Firenze e é a primeira menção europeia conhecida desde que Heródoto e os antigos escritores gregos e romanos falaram da cidade de Tebas, mas sem referência específica a este templo.

Desde esse ano específico da Idade Média até aos dias de hoje, o Templo de Karnak continua a cativar milhões de pessoas que vêm ver em primeira mão uma das grandes maravilhas arquitectónicas dos anos dos faraós. As escavações continuam até hoje, descobrindo os restos deste complexo único que continua a surpreender-nos.

Como chegar ao Templo de Karnak

Situa-se a 3 km a norte do Templo de Luxor, ligado a este pela Avenida das Esfinges. Por isso, para ires ao Templo de Karnak tens de chegar à cidade de Luxor, em voo direto ou de comboio, a partir de diferentes cidades do Egipto: Alexandria, Cairo, Hurghada. Se estiveres a navegar no Nilo de sul para norte, chegarás a Luxor de barco a partir de Assuão.

Horários

O horário de entrada no Templo de Karnak é das 6h às 18h para as visitas normais, tanto guiadas como autoguiadas. Em seguida, começam os espectáculos de luz e som, que consistem em entrar no templo à noite e, à medida que uma voz narra a história do local, diferentes partes são iluminadas. Há sessões em espanhol às segundas e sextas-feiras às 22.30h e em inglês todos os dias.

Preços da visita ao Templo de Karnak

O preço normal da entrada no Templo de Karnak é de 120 EGP para adultos e 60 EGP para estudantes. O espetáculo de som e luz custa 100 EGP. Todos estes preços não incluem o serviço de guia, cujo custo depende da agência ou do operador que contratares. Também tens de comprar um bilhete para tirar fotografias no interior do templo, que custa 20 EGP.

Fotos do Templo de Karnak

Outros artigos em que possa estar interessado...

Templo de Edfu

Hórus era considerado o deus iniciador da civilização egípcia, o deus celeste, deus da realeza no céu, da caça e

Templo de Luxor

Esta é uma das visitas obrigatórias durante a tua estadia na Cidade de Lúxor. Situado no centro da cidade e