Localizado nas margens do Nilo, na cidade de Kom Ombo, este é um templo cuja aparência e ornamentação é bastante invulgar segundo os padrões da arquitectura egípcia. Isto pode ser porque foi construído durante o período Ptolemaic, ou seja, após a chegada de Alexandre o Grande e quando a cultura egípcia se fundiu com a cultura egípcia.

História

O Templo de Kom Ombo foi erguido entre 180 AC e 47 AC, embora algumas extensões tenham sido feitas durante a invasão romana. A sua particularidade reside no seu desenho duplo, com entradas, corredores, pátios e santuários duplicados. para dar abrigo aos dois deuses a quem a sua construção foi dedicada: Sobekum deus cabeça de crocodilo com um corpo humano que para os egípcios ptolemaicos era o deus da fertilidade e o criador do mundo; e HorusO deus da realeza no céu, da caça e da guerra, filho de Ísis e Osíris, retratado com a cabeça de um falcão.

Está localizada 40 km a norte da cidade de Assuão, num promontório rochoso numa curva do rio Nilo. Deve o seu nome ao antigo sítio egípcio de Ombos, que deriva de uma antiga palavra egípcia nwbt, que significa ouro. Isto não significa que houvesse ouro neste local, mas sim que era um ponto estratégico importante para o antigo Egipto, pois era a partir desta cidade que as rotas das caravanas comerciais para Núbia através do Vale do Nilo podiam ser controladas.

A originalidade do seu desenho duplo é realçada por uma simetria perfeita, em que as duas partes estão perfeitamente alinhadas ao longo de um eixo longitudinal. Cada detalhe que aparece de um lado é reproduzido de forma idêntica do outro. Na sua fachada existem duas entradas independentes e no interior, alguns espaços são partilhados.

O Templo de Kom Ombo não se destinava apenas ao culto dos deuses e como um lugar de oração. Foi também utilizado para ensinar a arte da mumificação e várias técnicas médicas. Embora a maioria da estrutura original do templo tenha sido destruída por sucessivas inundações do Nilo e por saques, algumas pinturas permanecem em bom estado nas paredes e testemunham o facto de que o templo foi construído pelo Nilo. Este lugar não era apenas um lugar de oração mas também um lugar para aprender como curar os doentes e mumificar os mortos. Um dos quadros mostra os diferentes instrumentos cirúrgicos utilizados pelos médicos, outro mostra pão cujo fungo foi utilizado para desinfectar feridas, e há também imagens da planta do ópio, utilizada como anestésico.

Entre as relíquias mais importantes que se encontram neste templo duplo estão as mesas de diorito negro dedicadas às oferendas, a tríade de Horus, Tasenetnefret e Panebtawy, a tríade de Sobek, Hathor e Jonsu e a capela de Hathor, com algumas múmias de crocodilo muito bem conservadas. Em 2012, o Museu do Crocodilo abriu as suas portas para unificar num só local todos os artefactos arqueológicos encontrados no Kom Ombo.

O Ministério das Antiguidades do Egipto anunciou em 2018 a descoberta de um busto do imperador romano Marcus Aurelius, que testemunha o período do domínio romano sobre o Egipto Ptolemaic. No mesmo ano, foi também anunciada outra descoberta importante: uma esfinge de arenito de 28 cm de largura por 38 cm de altura do período Ptolemaic.

Como chegar ao Templo de Kom Ombo

As visitas ao templo fazem parte da rota do cruzeiro do Nilo. Se sair da cidade de Luxor, o Templo de Kom Ombo será uma das últimas paragens antes de chegar à cidade de Assuão. Por outro lado, se se começar na direcção oposta, será a primeira paragem.

É melhor visitar o site durante um destes cruzeiros. Mas se decidir ir sozinho, a cidade de Kom Ombo tem uma estação de comboio com boas ligações à maioria das principais cidades egípcias. E da estação, pode apanhar um táxi para a área do templo.

Calendários

De segunda a sexta-feira das 8h às 17h e sábados e domingos das 8h às 16h.

Preços da visita

A admissão geral no Templo Kom Ombo é de 80 EGP para adultos e 40 EGP para estudantes, não incluindo o custo da visita guiada que recomendamos que reserve. Em muitos casos, a taxa de entrada e o guia estão incluídos no cruzeiro do Nilo. Algumas agências vendem pacotes com uma excursão que também inclui uma visita ao Templo de Edfu e custa entre 55 e 75 euros, com serviço de guia.

Fotos do Templo Kom Ombo

Outros artigos em que possa estar interessado...

Templo de Abu Simbel

Abu Simbel é um dos locais turísticos mais visitados no Egipto. Declarado Património Mundial pela UNESCO em 1979, juntamente com

Templo de Hatshepsut

Hatshepsut, a única filha de Thutmose I e da sua esposa principal Ahmose, foi a segunda mulher a ser coroada

Português